24 de jan de 2010

Realidade aumentada e sua aplicabilidade na medicina

A Realidade Aumentada proporciona ao usuário uma interação segura, sem necessidade de treinamento, uma vez que ele pode trazer para o seu ambiente real objetos virtuais, incrementando e aumentando a visão que ele tem do mundo real. Isto é obtido, através de técnicas de visão computacional e de computação gráfica/realidade virtual, resultando na sobreposição de objetos virtuais com o mundo real.
Além de permitir que objetos virtuais possam ser introduzidos em ambientes reais, a Realidade Aumentada proporciona também, ao usuário, o manuseio desses objetos com as próprias mãos, possibilitando uma interação atrativa e motivadora com o ambiente.
No entanto, para que os objetos virtuais façam parte do ambiente real e sejam manuseados, deve-se utilizar um software com capacidade de visão do ambiente real e de posicionamento dos objetos virtuais, além de acionar dispositivos tecnológicos apropriados para Realidade Aumentada.
Apesar de grande parte dos dispositivos utilizados em um ambiente de Realidade Virtual poderem ser utilizados em ambientes de Realidade Aumentada, existem casos onde é necessário que haja algumas adaptações. Por conseguinte, as principais diferenças encontradas entre esses dispositivos tecnológicos estão situadas nos displays e rastreadores.

TIPOS DE REALIDADE AUMENTADA:


  • Optical See-through: projeta imagens e informações em um para-brisa ou outra interface transparente à frente da pessoa Video




  • See-through: por meio de um capacete ou óculos dá para ver imagens reais com informações virtuais




  • Espacial: a informação virtual é projetada sobre objetos da cena




  • Indireta: objetos virtuais são projetados no monitor e seguem movimentos do mundo real



TECNOLOGIA NA VEIA



Enxergar por dentro do corpo de uma pessoa parece um talento de Superman, mas, com ajuda da realidade aumentada, já existem médicos que conseguem visualizar o sistema venoso do paciente. Na Clínica Miyake, em São Paulo, o sistema VeinViewer (que já foi publicado aqui no blog) projeta sobre a pele da pessoa a imagem de suas veias. O equipamento emite raios infravermelhos que captam a temperatura corporal — as veias são mais quentes que os tecidos ao redor. O computador recebe as informações e as transforma em imagens. “Isso permite um tratamento mais eficaz para problemas vasculares”, diz o cirurgião vascular Kasuo Miyake, que trouxe o VeinViewer para o Brasil. O equipamento também pode ser útil para hospitais, para facilitar a coleta e sangue e injeção de medicamentos nos pacientes. “Isso diminuiria o sofrimento daqueles que passam por quimioterapia e recebem várias agulhadas.”
Outra aplicabilidade é no aprendizado, afirmam Wneiton Luiz Gomes e Cláudio Kirner . Como pode-se ver na figura abaixo, no estudo anatômico do coração é possível manipulá-lo em 3D. visualizar e manipular o coração, com aspectos diferenciados tornando o aprendizado mais dinâmico e realista.



Entenda mais no vídeo abaixo:


Fonte: Realidade Aumentada, Info Abril, e trabalho (Dados da Publicação: Gomes, Wneiton Luiz; Kirner, Cláudio. Desenvolvimento de Aplicações Educacionais na Medicina Com Realidade Aumentada. Bazar: Software e Conhecimento Livres, (1): 1, 13- 20, Jul. 2006.)

Postagens populares