9 de mai de 2010

Usando a tecnologia para diminuir custos de hospitais

Especialistas em saúde pública esperam que a tecnologia possa se tornar uma ferramenta para educar os médicos sobre o custo da saúde
O uso mais disseminado de prontuários médicos eletrônicos, eles dizem, ajudará a manter os gastos sob controle ao fornecer aos médicos informações precisas sobre o preço de exames e medicamentos, mesmo enquanto eles ainda estão decidindo sobre o que solicitar.
De acordo com um estudo de 1990 realizado por pesquisadores da Indiana University, mostrar os custos de exames em computadores usados por médicos residentes que trabalhavam em uma clínica levou a uma queda de 14% no número de exames solicitados, sem efeitos adversos nos pacientes.
Estudos subsequentes descobriram resultados similares quando o preço dos exames e estudos de imagem foram exibidos em computadores em salas de emergência pediátrica e em uma UTI pediátrica. A pesquisa não é unânime neste ponto.
Dois grandes testes randômicos verificando a abordagem em pacientes adultos hospitalizados e de cirurgia no Brigham and Women's Hospital, em Londres, não encontrou mudança alguma na solicitação de raios-x quando os custos do hospital eram exibidos em computadores. Apenas uma pequena redução - não significativa estatisticamente - foi notada em exames de sangue. Mesmo assim, até essa aparente pequena mudança no comportamento de solicitações de exames por parte de médicos se traduziu em economias da ordem de US$ 1,7 milhão em custos hospitalares para exames de laboratórios, afirmou o autor sênior do estudo, Dr. David W. Bates, chefe de medicina geral do Brigham and Women's.
Os médicos "realmente gostaram de ver a informação do custo, então continuamos a exibi-la" nos computadores de hospitais, ele disse. O Dr. Bates calculou que os custos de testes eram exibidos para médicos e residentes em menos de 1% dos hospitais-escola dos Estados Unidos.
Os médicos que prescrevem medicamentos a pacientes na clínica de seus hospitais, e outros do Partners HealthCare System de Boston, também receberam lembretes computadorizados informando-os de alternativas menos caras, com sugestões adaptadas à cobertura de seguro de cada paciente. O Dr. Bates sustenta que, na faculdade de medicina, os estudantes deveriam começar a aprender cedo sobre as consequências financeiras de suas decisões, e que esse ensinamento deve continuar durante todo o treinamento.
Quando ele supervisiona trainees no hospital, "pergunto aos residentes quanto custa estar na UTI por um dia, estar no hospital por um dia, estar num ambiente de cuidados de longo prazo por um dia. A maioria tem pouca noção - quando tem. Mesmo assim, estamos tomando decisões o tempo todo, e elas possuem grandes implicações".

© 2010 New York Times News Service
Fonte: Yahoo Notícias

Postagens populares