30 de mai de 2012

Perda auditiva não é barreira para estudantes de medicina

Recebi e-mails de 2 jovens com problemas auditivos. Uma estudante de medicina recém ingressada na faculdade desejaria saber sobre estetoscópios especiais para adaptação ao aprelho auditivo e outro jovem desejando saber se haveria problema em cursar medicina com perda auditiva.

Nos EUA há a AMPHL (Association of Medical Professionals With Hearing Losses - Associação de Profissionais Médicos com Perda Auditiva) fornece informações e orientações, além de uma rede de apoio a pessoas com perda auditiva interessadas em trabalhar na área de saúde. Engloba orientações a nove profissões diferentes, incluindo Medicina.

Na página da AMPHLorientações que abrangem desde antes da entrada na faculdade de Medicina, recomendações de escolas de Medicina, até os anos em sala de aula e os de prática clínica e residência médica. 
Sarah Hajjar formou-se em Medicina no Canadá (Fonte)

Com uma perda auditiva, a questão mais óbvia é se é possível auscultar sons como bulhas cardíacas, murmúrios pulmonares e peristaltismo. Alguém com uma perda auditiva profunda não poderá usar um estetoscópio tradicional, mas pode conseguir o resultado desejado de uma forma alternativa. Então, primeiro se perguntar: "Posso usar um estetoscópio? Se não, quais são as minhas opções?" 


Será necessário selecionar um estetoscópio amplificado, eletrônico ou especial. Estetoscópios especiais incluem estetoscópios de exibição visual, configurações modificadas, estetoscópio estetoscópios e táteis. Informações técnicas sobre estetoscópios para implante coclear e aparelhos auditivos podem ser lidas neste link e toda a informação necessária sobre o tema estetoscópio está na AMPHL e o artigo Amplified Stethoscope Options for Professionals with Hearing Loss, é m uito abrangente também.




“A vida de uma estudante de Medicina surda é cheia de emoções - como a de qualquer estudante de medicina, com o diferencial de escutar pouco! O primeiro e segundo anos são tranquilos, porque é ciclo básico. A partir do terceiro, o bicho pega: entra a clínica médica(passamos a ter contato com pacientes, aprendemos a examinar, etc). O grande problema são as famosas bulhas cardíacas… Se acadêmicos normais se confundem e têm dificuldade de diferenciar uma B3 de uma B4 no início, imagine eu! Lanço mão do meu esteto hi-tech (ahahah) e consigo me virar numa boa, mas claro que me confundo e posso deixar passar..." (Depoimento de uma estudante brasileira de medicina com deficiência auditiva em Crônicas da Surdez - fonte)
O importante é não se deixar desanimar pela aparente dificuldade da tarefa. Pequenos obstáculos não impedem a realização profissional.

Links Interessantes:
Stethoscope Hearing Aids: Keeping Medical Professionals with Hearing Loss Connected

Postagens populares