31 de out. de 2009

Todos seus dados médicos expostos sem segurança em um microship implantável sob a pele






Essa é uma propaganda que está sendo vinculada nos Estados Unidos sobre um chip implantável da HEALTHLINK sob a pele com as informações como foto, endereço, nº do seguro social, telefones de contato de familiares e médicos, além de informação de registros médicos, como alergias, tipo sanguíneo e histórico médico pregresso.


VeriMed Health Link: Micro-chip Implantável Ligará seus Registros de Saúde, Histórico de Crédito e Segurança Social.






Um minúsculo microchip  (o primeiro e único microchip nos EUA liberado para identificação do paciente pela FDA) e um banco de dados privado seguro, que vincula e conecta voce e seu registro pessoal de saúde. Seu Health Link está sempre com você e não pode ser perdido ou roubado.


Esse banco de dados pode ser acessado por médicos e enfermeiros:
Aproximadamente do tamanho de um grão de arroz, o micro-chip é inserido sob a pele e contém apenas um único identificador de 16 dígitos. O circuito em si não contém quaisquer outros dados que não seja essa identificação eletronica, nem contem qualquer Sistema de Posicionamento Global (GPS). E, ao contrário das formas convencionais de identificação, o Health Link não pode ser perdido, roubado, extraviado ou falsificado. É seguro, protegido, reversível, e sempre com você.


clique na imagem para vê-la ampliada
Os benefícios são óbvios em emergências, mas e os riscos?
Acho extremamente perigoso que alguém possa acessar seus dados sem premissão prévias, necessitando somente de um dispositivo leitor.


Fonte: MICRO-CHIP IMPLANTÁVEL LIGARÁ SEUS REGISTROS DE SAÚDE, HISTÓRICO DE CRÉDITO E SEGURANÇA SOCIAL

27 de out. de 2009

Bainha de Segurança para Bisturi



ThumBlade™ sistema de segurança para bisturi é um projeto da Precision Medical Devices Inc, a ser lançado ainda. O mecanismo baseia-se na ativação harmoniosa pelo polegar, usando uma só mão,  tanto para canhotos como destros, deixando o restante dos dedos fora do caminho.



Esse produto teria sido muito útil na época da minha residência médica na Santa Casa de Belo Horizonte. Algumas vezes, ao receber a lâmina de bisturi de um colega ou preceptor, fui vítima de acidente pérfuro-cortante com material biológico.
Fonte: medgadget

26 de out. de 2009

Sistema de Apaio a Decisão Clínica baseado em SRE




General Electric está desenvolvendo um novo Software de Apoio a Decisão Clínica em conjunto com o sistema hospitalar Intermountain Healthcare de Salt Lake City. Usando anos de dados clínicos do Intermountain Healthcare,  o software é projetado para monitorar dezenas de pacientes, mostrando dados em tempo real sobre eles, e gerando alertas quando certos critérios são preenchidos.
O software piloto será lançado em Novembro no encontro do  Healthcare Information Management and Systems Society (HIMSS).
Esse projeto poderia vir a ser desenvolvido pela Microsft HealthVault e pelo Google Health, agregando valor mais um dado de extremo valor aos interesses da classe médica.

25 de out. de 2009

Autópsia Virtual

Centro de Visualização de Norrköping na Suécia, em colaboração com o Centro de Imagem e Visualização de Ciências Médicas, desenvolveu um sistema autópsia virtual baseado em manipulação de toque em tela plana para substituir parte do trabalho manual. O corpo sob investigação é primeiro digitalizado por meio de tomografia computadorizada ou ressonância magnética.Os resultados são manipulados usando um software que permite filtrar as imagens com base na densidade do tecido, a iluminação, e outros critérios. Muito interessante e útil.

Veja mais no vídeo abaixo:


The Virtual Autopsy Table from NorrköpingsVisualiseringscenter on Vimeo.

Fonte: MedGadget

23 de out. de 2009

Ultrasom portátil - o novo estetoscópio?


Praticamente do tamanho de um smart phone, esse dispositivo portátil tem a tecnologia de ultrasom poderoso e pode potencialmente redefinir a forma como os médicos examinam os pacientes. Ao dar aos médicos uma visão interna do organismo tão acessível, GE acredita que Vscan poderia um dia tornar-se tão indispensável como estetoscópio no exame clínico!

22 de out. de 2009

Boa notícia: Ampliação de vagas de residência médica em área prioritária : Norte, Nordeste e Centro-Oeste.


Governo quer ampliar número de bolsas de residência médica em área prioritária


Carência maior de especialistas é no Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
Previsão é que, até 2011, as vagas passem de 1,7 mil para 3,7 mil.



Entre as especialidades que terão prioridade estão atenção primária à saúde, saúde da criança, saúde da mulher, saúde mental, oncologia, saúde do idoso e urgência e emergência.


O Programa Nacional de Apoio à Formação de Médicos Especialistas em Áreas Estratégicas (Pró-Residência) foi lançado pelos Ministérios da Educação e da Saúde nesta quinta-feira (22), em Brasília. As duas pastas vão dividir o custo das bolsas, no valor de R$ 1,9 mil. As informações são da assessoria de imprensa do MEC.



A distribuição das bolsas será feita a partir da apresentação de propostas. Podem se candidatar os hospitais universitários federais, os hospitais de ensino e as secretarias estaduais e municipais de saúde, prioritariamente das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.


Um primeiro edital, com prazo para apresentação de propostas até 30 de novembro, selecionará projetos de ampliação de vagas em programas já existentes ou de criação de programas que dependam exclusivamente de bolsas de residência para iniciar as atividades. Nessa modalidade, serão distribuídas mil bolsas. A divulgação dos projetos aprovados está prevista para 11 de dezembro.


Outras mil bolsas serão distribuídas entre os projetos apresentados por instituições que necessitam de investimentos em infraestrutura e formação de profissionais médicos para a supervisão dos residentes.Para esse caso, o prazo de apresentação de propostas vai até 31 de janeiro de 2010.
Leia mais no G1

---------
Pensei logo na Anunciação quando vi essa notícia. Seria uma boa idéia montar projetos e enviar ao MEC.


21 de out. de 2009

Primeira cirurgia robótica para tratamento de endometriose

O procedimento foi realizado no Hospital Israelita Albert Einstein pela Dra Rosa Maria Neme e também contou com a participação do Dr. Vladimir Schraibman, gastrocirurgião e único orientador emCirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo desse hospital (Proctor Intuitive Robotic System).


“A endometriose envolveu o intestino e a região atrás do útero (chamada retrocervical) e apresentava aderências do intestino neste nódulo. Foram desfeitas as aderências e a retirada do nódulo, que se encontrava atrás do útero e da parede do intestino. Tudo foi feito com muita precisão, pela equipe envolvida que contou com a presença do Dr. Vladimir Schraibman, gastrocirurgião especialista em cirurgia robótica”, relata a Dra. Rosa Maria Neme (CRM SP-87844), graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, primeira clínica no Brasil especializado no tratamento da doença.
“Este procedimento é uma importante evolução no tratamento da endometriose, permitindo à paciente maior precisão, mais segurança, menor sangramento, menor tempo de internação e menos dor pós-operatória. Nossa equipe e o Hospital Albert Einstein são novamente pioneiros no desenvolvimento e implantação desta tecnologia para atender as mulheres portadoras dessa doença”, avalia Dr. Vladimir Schraibman (CRM-SP 97304), especialista em cirurgia geral, gastrocirurgia e único orientador de Cirurgias Robóticas da área de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Israelita Albert Einstein (Proctor Intuitive Robotic System).
Fonte: RedeNotícia

Vantagens da cirurgia robótica
“Os sistemas robóticos trazem várias vantagens, como o aumento de liberdade de movimentação das pinças do cirurgião, maior precisão dos movimentos, melhor qualidade de imagem e realização de movimentos em 360 graus (como um punho) pela ponta da pinça. As pinças do robô são mais articuladas principalmente em suas extremidades, quando comparadas as pinças laparoscópicas convencionais. Além disso, qualquer possível tremor do cirurgião é eliminado pelo sistema e não é transmitido para o campo operatório”, completa Dr. Vladimir.
Outras vantagens incluem o posicionamento mais ergonômico do cirurgião, tornando os possíveis erros causados pela fadiga menos prováveis e ainda criando uma perspectiva de telecirurgia – médico e paciente em locais diferentes, como na ficção. A imagem da região a ser operada em três dimensões permite muito mais acurácia e acuidade visual para o cirurgião.


Comparação entre Histectomia robótica (da Vinci), laparoscópica e aberta.



Entenda mais no vídeo abaixo:





20 de out. de 2009

Nanotecnologia: mosca robótica para diagnóstico intra-arterial


Pesquisadores israelenses criaram uma mosca robótica em miniatura que pode percorrer as artérias e veias do corpo para diagnosticar e tratar problemas.

Baseado na tecnologia MEMS (Micro-Electro-Mechanical Systems), o pequeno robô é direcionado por um imã controlado de fora do organismo. Seus minúsculos braços se agarram nas paredes das veias para que ele alcance a região desejada.

Variando o campo magnético por meio de um controle remoto, os pesquisadores movem a mosca a velocidades de 0.35 mm por segundo. Como a unidade de controle é externa, o robô pode funcionar por um período ilimitado de tempo, sem a necessidade de recarregar a bateria durante o procedimento. O laboratório pretende adicionar uma câmera ao protótipo.
Entre as outras pesquisas do Robotics Lab está um outros pequeno robô que visa auxiliar a medicina mas, ao invés de escalar, ele nadaria nos fluídos corporais, sendo útil para estudar a medula espinhal.A tecnologia de movimentos foi inspirada nos flagelos encontrados nos espermatozóides. (leia mais em : Info plantão - Ciências)



19 de out. de 2009

Redes Neurais, Neurociência e Inteligência Artificial na Medicina




Redes Neurais:
O cérebro humano é considerado o mais fascinante processador baseado em carbono existente, sendo composto por aproximadamente 10 bilhões neurônios. Todas as funções e movimentos do organismo estão relacionados ao funcionamento destas pequenas células. Os neurônios estão conectados uns aos outros através de sinapses, e juntos formam uma grande rede, chamada REDE NEURAL. As sinapses transmitem estímulos através de diferentes concentrações de Na+ (Sódio) e K+ (Potássio), e o resultado disto pode ser estendido por todo o corpo humano. Esta grande rede proporciona uma fabulosa capacidade de processamento e armazenamento de informação.

Foi pensando em como os neurônios trabalham que pesquisadores desenvolveram neurônios artificiais.O segredo não está na arquitetura dessa rede, mas na forma como ela processa: Redes Neurais não rodam programas, elas aprendem!




A grande vantagem disso é que para executar tarefas, uma rede neural não precisa guardar instruções de comando e executá-las de forma lógica, como num computador tradicional. Ao invés disso, a rede aprende o que é preciso ser feito e executa a função. Dessa forma, uma mesma rede, se ela for capacitada com os neurônios necessários para tal, é capaz de executar várias funções diferentes, independente de espaço de memória. Uma rede neural consegue aprender qualquer função que uma pessoa possa saber e não há limites para a quantidade de informação que ela possa processar.
As redes neurais são principalmente utilizadas para criar sistemas de inteligência artificial. Os computadores tradicionais podem fazer isso de forma simulada, mas sua principal função é seguir regras ou comandos oferecidos pelo usuário. Assim, a inteligência artificial gerada por computadores tradicionais são simulações de inteligência real, ou seja, apresentam respostas segundo regras e comandos de um programa pré-estabelecido.
Já  os sistemas de IA baseados em redes neurais conseguem aprender com seus erros e executar diferentes processos, independente de instruções.





Aplicações na Medicina:
Computação Bioinspirada é uma área de pesquisa da Computação que estuda e desenvolve técnicas de Computação inspiradas na Biologia e utiliza estas técnicas para a resolução de problemas práticos.

O aprendizado de máquinas, por exemplo, não está somente relacionado a robôs. Pode ser aplicada a um computador programado para reconhecer materiais microbiológicos, como o DNA. Para isso, o computador agrupa dados biológicos e os classifica. Com isso, é possível, além de fazer o reconhecimento de paternidade, realizar a comparação entre espécies de animais
"Outra aplicação é na medicina. Se descobrirmos através do reconhecimento do DNA, o que causa determinadas doenças, poderemos saber quem tem tendência a ter quais tipos de problemas", conta o professor Mello.

De forma geral, todas as pesquisas trabalham com a compreensão de informações conhecidas no passado, interpretação lógica desses dados e criação de um modelo matemático capaz de expressá-las. "Nessa lógica, quanto mais informações o computador tem como referência, maior são suas chances de acertar", explica Rodrigo Mello,  do grupo de Computação Bioinspirada (BioCom) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP.
Outra aplicação das redes neurais e da AI na Medicna são os Sistemas de Apoio a Decisão Clínica, onde softwares são desenvolvidos para aprenderem com base nos dados inseridos e ajudarem na análise de dados como imagens de mamografias, colonoscopias ou mesmo dados de acompanhamento clínico para prognósticos.





18 de out. de 2009

ColonRing - inovação nas anastomoses mecâmicas


clique nas imagens para ampliá-las

O ™ ColonRing (CAR ™ 27) é um dispositivo endolumial de anastomose sem sutura que tem como inovação o anel de nitinol que é expelido do corpo por volta do 6º dia, quando a deposição máxima de colágeno já ocorreu.



O nitinol tem uma mistura de níquel e titânio; tem a habilidade de se expandir e contrair quando resfriado e voltar a sua forma pré-definida quando em temperatura normal (Shape Memory). Na prática, o anel é resfriado antes do procedimento cirúrgico, como pode ser visto no vídeo abaixo. Quando dentro do organismo, em temperatura normal, o anel de nitinol retornará a sua forma original, causando uma compressão uniforme na anastomose, acomodando várias expessuras diferentes de tecido.

As vantagens desse preocesso de cicatrização são:

  • anastomose sem sutura, não há perfurações na parede intestinal, eliminando a infecção nas bordas do tecido da anastomose.


  • dispositivo de compressão mecânica comprime os vasos sanguíneos a cria hemostasia imediata e quase completa, enquanto no caso das anastomoses, plaquetas criam hemostasia através da formação de um coágulo de fibrina, assim, aumentando o tempo para conseguir hemostasia.


  • elimina a existência de qualquer corpo estranho (suturas, grampos) na zona de cicatrização após 7-14 dias pós-operatório; o elemento de fixação é expulso e, portanto, elimina a reação de corpo estranho.


  • O diâmetro da anastomose é maior que no caso dos staplers (veja figura abaixo).




Pode ser usado em cirugia laparoscópica ou aberta, com uso único por paciente, um tamanho único (27mm).
site: http://www.nitisurgical.com/colonring.htm

17 de out. de 2009

Feliz dia do Médico!


O blog TI MEDICINA deseja a todos os colegas médicos um FELIZ DIA DO MÉDICO!
Que  nossos profissionais continuem sendo respeitados, éticos, e que recebam remuneração adequada por  aliviarem o sofrimento do paciente.

15 de out. de 2009

Imagens do universo da ciência são premiadas no Reino Unido


A décima edição do concurso da Wellcome Trust, instituição britânica de amparo à pesquisas médicas, premiou algumas das melhores imagens feitas a partir de pesquisas médicas em 2008. O Wellcome Image Awards 2009 selecionou 15 imagens que retratam a ciência de forma artística e "contribuem para a compreensão da medicina moderna e da ciência".

Wellcome Image Awards 2009


Lung cancer cell

A single cell grown from a culture of lung epithelial cancer cells. The purple spheres are 'blebs': irregular bulges where the cell's internal scaffolding - its cytoskeleton - becomes unlinked from the surface membrane. Scanning electron micrograph.



Sickle-cell anaemia

This image shows two red blood cells. The one in the front has been affected by sickle-cell anaemia, and displays the characteristic sickle shape (a flattened 'C' shape) common to the disease. Scanning electron micrograph.



Villi in the small intestine

These finger-like structures in the small intestine of a mouse have been cropped at the tips and stained with fluorescent dyes to distinguish between different components of the cells. The cell nuclei are blue, while the red stain shows actin, a protein that covers the surface of each villus. Multiphoton fluorescent micrograph.

Veja a galeria online aqui.



SoundBite - dispositivo auditivo coclear não-cirúrgico


Dispositivo retroauricular
SoundBite é um aparelho auditivo que auxilia na audicão coclear sem o implante cirúrgico. Ele é removível e transmite o som através dos dentes.
SoundBite sistema auditivo foi concebido para permitir que o som para viajar através dos dentes, através dos ossos, para ambas as cócleas, ignorando o ouvido médio e externo totalmente. Ao utilizar condução óssea através dos dentes, SoundBite destina-se a restaurar a audição normal ao paciente com surdez unilateral único, condutora, ou perda auditiva mista, todos sem cirurgia. 



Dispositivo oral


O dispositivo oral  é moldado sob encomenda por um dos dentistas parceiros do programa e utiliza tecnologia avançada eletrônica e  especializada para produzir vibrações imperceptíveis que são transmitidas através dos dentes e ossos, a ambas as cócleas. O dispositivo retroauricular possui um microfone sem fio que envia os sons para o dispositivo oral.



Carregador

referência de tamanho

14 de out. de 2009

Saiba se você tem Gripe Suína (Swine Flu H1N1) e o que fazer



A Microsoft em parceria com a Universidade de Emory lançou o  H1N1 Swine Flu Response Center  para ajudar as pessoas com sintomas de doença a saber se pode ser a Gripe H1n1 e se realmente precisam de ajuda clínica. 
É gratuito e online, em inglês.

Fonte: Medgadget

13 de out. de 2009

Manual Merck online e agora para iPhone


Manual Merck Caderneta de Saúde, foi agora lançado para o iPhone. O software foi desenvolvido pela Merck em colaboração com a Agile Partners, uma empresa de desenvolvimento de software.
Fonte: Medgadget



Aprovgeito e indico o Manual Merck para a família, online e gratuito, para consulta e estudo.



Em 1899 foi publicado O Manual Merck de diagnóstico e terapêutica; a esta primeira edição seguiram-se muitas outras e hoje em dia é o livro de referência médica mais utilizado pelos profissionais de todo o mundo.Com a mesma exigência de qualidade e rigor, duzentos especialistas de prestígio reconhecido dedicaram cinco longos anos de trabalho à criação do Manual Merck – Saúde para a família.
Segue abaixo um trecho do tratamento de queimaduras retirado do manual Merck Online:






Registro eletrônico de saúde melhora a qualidade primária de saúde

Usar registros eletrônicos de saúde na atenção primária é uma das poucas estratégias que fuuncionam para melhorar a atenção primária a adultos, revelou estudo recente, com pacientes diabéticos.
Para funcionar o RES precisa ter funcionalidades como lembretes automáticos para os médicos e ser usado rotineiramente no consultório. Os pesquisadores sugerem que a adoção generalizada desse tipo de RES mais avançado terá um impacto modesto, mas significativo, na qualidade da atenção primária em saúde.
Resumo por Renato M.E. Sabbatini

Fonte: ScienceDaily

9 de out. de 2009

Desafios para classe médica em tempo de Paciente Informado e Web 2.0



O texto de Yuri Almeida"Desafios para classe médica em tempo de Paciente Informado e Web 2.0" apresenta de forma sucinta e muito interessante o debate ocorrido em Salvador, com discussão via twitter, "paciente Informado"
Abaixo transcrevo parte dele, mas quem se interessar em lê-lo na íntegra, clique aqui.


A internet provocou mudanças no relacionamento entre médicos e pacientes a partir do momento em que ampliou o leque de informação sobre doenças, tratamentos e medicamentos. Se por um lado, tais transformações exigem da classe médica maior interação com o paciente, cada vez mais informado, por outro, implica debater certificação e/ou credibilidade do conteúdo publicado no ciberespaço.
Primeiro é preciso destacar que a relação médico versus paciente é marcada pela autoridade científica e poder simbólico daquele que detém o conhecimento sob aquele que realiza uma consulta. Vale destacar que o conhecimento adquirido pelos profissionais na academia é elemento estruturante desta relação. Porém, a liberação do pólo emissor, impulsionada pela Web e novas tecnologias de informação e comunicação, potencializaram o acesso a informação e radicalizaram o ditado popular de que “de médico e louco, todo mundo tem um pouco”.
Basta uma busca no Google para encontrar solução caseira para curar um câncer até consulta online. Independente da credibilidade e exatidão da informação publicada, o paciente consulta o Dr. Google antes e após a consulta, implicando para o médico uma nova forma de se relacionar com o seu paciente.
Diante da infinidade de textos sobre tratamento, sintomas e curas disponíveis na Web em qual confiar? Afinal, café faz bem ou mal a saúde? Estas e outras questões são rotineiras para os pacientes que buscam na internet orientações sobre saúde, mas a cada clique uma informação diferente, uma verdade diferente. O que tem credibilidade? O que é verdade, do ponto de vista médico? O que realmente vai aliviar essa dor de cabeça?
Dar respostas a estas questões é o objetivo da proposta da Federação Nacional dos Médicos em certificar os produtores de conteúdo e sites que abordem a temática médica na Web. A idéia ainda não esta finalizada em termos de execução, mas a necessidade foi defendida por médicos e pacientes durante uma mesa redonda realizada em Salvador na última quinta-feira (8).
“Existe a necessidade de qualificar a informação encontrada via “dr. Google”. Mais importante do que encontrar a informação, é que esta informação seja verdadeira”, opina o professor de marketing digital, Eduardo Sales.
Para além de um serviço para o paciente, a grande questão para os profissionais da área de saúde é: ocupar espaço no ciberespaço antes que os “não-médicos”, munidos de técnicas SEO e soluções milagrosas dominem a Web. Para isso, enxergar a Internet apenas como um meio de transmitir informação é pueril. Vale lembrar que a Web, sobretudo é espaço para interação, logo é preciso que os médicos se preocupem com seus pacientes além do consultório, estejam nas redes sociais, mantenham blogs ou pelo menos entendam que o Dr. Google é um aliado para o exercício de uma medicina mais humana e eficiente.

Minha opinião sobre o assunto é que vejo mais benefícios no paciente que procura informações adicionais na internet, mesmo ainda não tendo senso crítico da qualidade das mesmas, do que malefício. O questionamento sobre tratamentos disponíveis e sobre diagnóstico é uma realidade imputável dos dias de hoje. O importante é nos adaptarmos a essa nova era das informações dos 140 caracteres, e tirarmos vantagens dessa nova situação nos consultórios e hospitais.(aqui)



"Não se pode esquecer que a história é cruel com aqueles que pensam que ela é eterna. Porque ela não é eterna. Ela muda as faces, muda as exigências. E pode se converter num abismo e afogar aqueles que não percebem que é o momento de mudar de rumo."
Florestan Fernandes (Série Encontros, org. Amélia Cohn, Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2008). )

8 de out. de 2009

Evento "Paciente informado" hoje pelo twitter foi um sucesso

Participaram do evento:
Dr. Eduardo Santana -VP da FENAM - Assunto: “Selo” Médico
twitter: @meduardosantana
Assunto: “Selo” Médico

Dr. Antístenes Albernaz -Vice-Presidente da ABO-BA - Assunto: Odontologia na web

website: www.abo-ba.org.br

Dr. Marcelo Matos - Odontologista – Pós graduado em patologia da ATM e especialista em Radiologia Odontológica - Assunto: Odontologia na web
website: blog.marcelomatos.com / www.marcelomatos.com
Twitter: @Artrodoc

Felipe Rocha - Analista de sistemas, professor de informática em Saúde , mestrando em filosofia e bloqueiro.
Assunto: Odontologia na web
Dr. André Pereira - Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da ENSP - Assunto: Paciente Informado
Referência: Fiocruz
Dr. Claudio Freitas - Professor e médico, gestor do projeto GDF em Brasília - Assunto: Médico Informado
Blog saudeconectada
BLOGUEIROS E CONSULTORIA EM MÍDIAS SOCIAIS
Yuri Almeida - Jornalista, pós-graduado em Jornalismo Contemporâneo (UniJorge) com a tese “A noticiabilidade no jornalismo colaborativo”
Papel: debatedor
Twitter: @herdeirodocaos
Blog Herdeiro do Caos
Eduardo Sales Filho -Publicitário, professor, tradutor e blogueiro
Papel: debatedor
Twitter: @eduardo_sales
Blog Papo de Gordo
Eduardo Pelosi - Jornalista e blogueiro
Papel: Debatedor
Twitter: @eduardopelosi
Blog 2.Zero

Marcelo “Tuca” Hernandes - Analista de mídias sociais e blogueiro
Papel: debatedor e cobertura do evento
Twitter: @tucahernandes
Blog polvora! comunicação

Mário Soma - Jornalista, radialista e empreendedor do setor de comunicação tradicional corporativa e de mídia social
Papel: mediador
Twitter: @msoma
Blog polvora! comunicação
Roberto Camara Jr. - Blogueiro, professor e guia de turismo.
Twitter: @robertocamarajr

O evento foi acompanhado no twitter pela tag #saudecoenctada e #pacienteinformado e pelo USTREAM. Os  melhores comentários seguem abaixo:

















7 de out. de 2009

6 de out. de 2009

Quinta-feira, 08/10/2009, Evento "Paciente Informado" em Salvador, apartir das 14:00



A certificação médica em sites e blogs será um dos temas da segunda reunião "Paciente Informado", evento que tem como meta reunir profissionais da saúde e demais representantes da sociedade, para debater a situação de pacientes que utilizam a internet com o objetivo de obter informações sobre doenças, ao invés de procurar um especialista.

A Federação Nacional dos Médicos, (FENAM) participa do debate, a fim de criar mecanismos para qualificar a informação médica na internet, identificando, inicialmente, o responsável pelo conteúdo. O vice-presidente da FENAM, Eduardo Santana, representará a entidade.

O evento, marcado para a próxima quinta-feira (08/10), em Salvador, a partir das 14h, poderá ser acompanhado ao vivo pela internet, ou via twitter, por meio da tag #saudeconectada.

Fonte: FENAN