20 de ago de 2009

A democratização das informações na internet e o paciente


A democratização do conteúdo informacional útil e relevante da saúde, em particular da Medicina, está cada vez mais presente na internet hoje.

No passado era preciso que a imprensa privada ou estatal processasse a informação médica e a divulgasse a população. Não bastava ter acesso a informação. Era preciso que se tivesse algum tipo de formação na área de saúde para que a informação fosse útil, ou seja, fosse utilizada por alguém para diminuir sua incerteza em relação a algum assunto. Dessa forma a informação era usada como forma de poder e controle, adequando-a a conveniência de quem a detinha.
O que acontece hoje é que a democratização da informática e das telecomunicações vem democratizando o conteúdo de informação médica. Blogs, mecanismos de pesquisa como o Google, enciclopédias como a Wikipedia, comunidades em Orkut ou associações online de indivíduos com a mesma patologia divulgam conteúdo, antes de difícil acesso e entendimento, hoje de uma forma intelegível e sucinta.
Eu vejo mais benefícios no paciente que procura informações adicionais na internet, mesmo ainda não tendo senso crítico da qualidade das mesmas, do que malefício. O questionamento sobre tratamentos disponíveis e sobre diagnóstico é uma realidade imputável dos dias de hoje. O importante é nos adaptarmos a essa nova era das informações dos 140 caracteres, e tirarmos vantagens dessa nova situação nos consultórios e hospitais.

"Não se pode esquecer que a história é cruel com aqueles que pensam que ela é eterna. Porque ela não é eterna. Ela muda as faces, muda as exigências. E pode se converter num abismo e afogar aqueles que não percebem que é o momento de mudar de rumo."
Florestan Fernandes (Série Encontros, org. Amélia Cohn, Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2008). )

Postagens populares