27 de set de 2009

Prontuário Médico online - Cloud Computing - Experiência de médicos

Do Olhar Digital: Prontuário médico online


Dr. Adriano é aficionado por tecnologia. Recentemente, resolveu inovar em seu consultório. Abandonou os sistemas já existentes de controle de pacientes, que utlizavam banco de dados locais, e resolveu experimentar uma nova solução, baseada na idéia de cloud computing.
"A ideia básica ao mudar foi procurar um lugar onde eu pudesse armazenar na web e que eu pudesse ter acesso em qualquer lugar. Além disso, que eu pudesse ter um tipo de programa que fosse maleável de acordo com as minhas necessidades. Eu sou urologista, e eu preciso de determinadas coisas com mais intensidade - uma história clínica e um exame - do que, por exemplo, um cardiologista, um cirurgião geral e assim por diante", explica o Urologista Dr. Adriano Francisco Cardoso Pinto.
Ele é um dos principais usuários-beta desse sistema, o P2D, feito sob medida para consultórios médicos. Os desenvolvedores ouvem, atentos, cada observação feita por ele sobre a aplicação. Os médicos ganham ao ter esses dados disponibilizados, remotamente, de qualquer lugar. E os pacientes também, uma vez que os exames digitalizados podem ser acessados por outros profissionais da área – desde que o médico original dê a devida autorização. Isso significa que acabou aquele leva-e-traz de exames entre médicos, e também chega ao fim a difícil tarefa de entender as letras ilegíveis desses profissionais.
"É muito raro você trabalhar numa instituição, num sistema de saúde como um todo no qual que você pode ter acesso a informação que você precisa, na hora que você precisa e da forma que você precisa. E essa é a nossa proposta", conta o idealizador do projeto, Ricardo Auriemo.
O Conselho de Medicina ainda tem restrições com relação à segurança desse tipo de informação. Acredita que a única maneira de garantir a total confiança desses dados é utilizar o sistema junto a um certificado digital individual. De qualquer forma, não deixa de ser um avanço na área.
O P2D tem como foco os profissionais da medicina, e é preciso pagar uma mensalidade para usá-lo. Mas se você é um hipocondríaco assumido, conheça este outro serviço aqui, o HelpLink. Ele é gratuito e é o próprio paciente quem atualiza o prontuário eletrônico. Então, vale fazer o cadastro e dizer, por exemplo, se você tem alguma alergia, quais foram os dados do seu último exame de sangue ou da tomografia. Tudo fica arquivado online, e à disposição de você ou do seu médico.
"Meu sócio foi um caso: ele fez duas endoscopias em um mês porque perdeu. Se tivesse dentro do cadastro dele, como hoje já está, isso não vai repetir. Vai custar mais barato para ele, porque na renovação o plano vai querer cobrar alguma coisa dele, vai custar mais barato para o plano... e fora o desgaste de fazer duas endoscopias", exemplifica o diretor Comercial da HelpLink, Gianpaolo Madureira.
Edson é usuário do sistema desde o início. Mais do que arquivar seus dados médicos, o HelpLink serve como lembrete. O sistema envia mensagens SMS sempre que for a hora certa de tomar um remédio. "Eles têm um sistema onde eles fazem um cálculo com a data do nascimento e a época do ano. Aí eles colocam lá a época e data para tomar determinada vacina. E isso ajuda bastante", diz Edson Harada, usuário do HelpLink.
Ao final do cadastro, o sistema oferece uma página para que você imprima um documento, como se fosse a carteirinha do plano de saúde, para que você carregue junto consigo. Assim, caso algo aconteça, paramédicos podem ter acesso a estas informações cadastradas e evitar complicações.
ortanto, se você é um hipocondríaco convicto, ou se vive esquecendo a hora de tomar seu remédio, cadastre-se agora no HelpLink. O serviço é gratuito e o endereço, você encontra logo acima. Ah, e logo acima você também vai encontrar o link para um site que traz um banco de dados de bulas destinadas aos pacientes, registradas pela ANVISA. É diversão garantida para quem não vive longe dos remédios, e fonte de pesquisa importantíssima para profissionais de saúde.

Postagens populares