3 de out de 2010

Sistemas de Registro em Saúde e Prontuário Eletrônico do Paciente

Sistema de registro

Picture
clique aqui
Cartão Nacional de Saúde ou Cartão do SUS

1- O que era para ser:
  • Cartão Nacional de Saúde ou Cartão do SUS é um documento pessoal que identifica o usuário do SUS, reunindo suas informações pessoais e dados sobre procedimento clínicos que já realizou, que remédios toma, etc.
  • Finalidade:Conhecer quem está sendo atendido, por quem, aonde, como e com quais resultados.Toda vez que acontece um atendimento em um estabelecimento público de saúde ele é registrado por meio do cartão do paciente no banco de dados do SUS. Todos os prontuários de pacientes ficam disponíveis na rede do sistema, desta forma, mesmo que o atendimento seja feito em outros estabelecimentos e até mesmo em outros estados, o sistema é atualizado e é possível que o médico saiba o que já foi feito.Com isso, o Cartão do SUS tem a finalidade de:
  • Fornecer um histórico confiável do paciente;
  • Imediata identificação do paciente, gerando assim agilidade no atendimento;
  • Acesso a medicamentos mais facilmente;
  • Melhoria da gestão: revisão de processo de compras de medicamentos, integração dos sistemas de informação, acompanhamento dos processos de referência e contra-referência dos pacientes, revisão dos processos de financiamento e racionalização dos custos, acompanhamento, controle, avaliação e auditoria do sistema e serviços de saúde, além da gestão e avaliação de recursos humanos.
2- O que acabou sendo: 
Cartão Nacional de Saúde do SUS está longe de alcançar a atribuição prevista na sua criação, em 1996: a identificação do paciente e do seu prontuário clínico por meio de uma base de dados on line, interligando todos os municípios ao  sistema brasileiro de saúde pública. Hoje não passa de  apenas um número para ser inserido no sistema de faturamento, como o SIA e AIHs.

Picture
clique aqui
Microsoft HealthVault
A Microsoft escolheu Peter Neupert para lançar e desenvolver o HealthVault, que é um é uma plataforma da Microsoft para armazenar e manter o histórico médico e as informação em saúde do paciente, ou seja sistema on-line de registro clínico eletrônico.
O acesso ao HealthVault é feito por meio do Windows Live ID, e o registro é gratuito. A ferramenta permite que os registros pessoais sejam associados, o que facilita o gerenciamento de saúde de uma família, por exemplo. Além disso, o sistema permite baixar os documentos do próprio computador ou de aparelhos como o medidor de glicose.

Os médicos e hospitais também poderão utilizar a ferramenta. O sistema foi desenvolvido em parceria com a Allscripts Healthcare Solutions, cujo software permite o envio de dados via internet para o HealthVault.

Para gerar resultado, a Microsoft aposta na publicidade dentro do serviço de busca pela internet inserido na solução. A ferramenta foi desenvolvida pela Medstory e lista informações específicas sobre saúde. A expectativa da divisão Health Solutions Group da Microsoft é gerar operações com receita de mais de US$ 1 bilhão com o HealthVault, além da venda de softwares para os hospitais.


Picture
clique aqui

Google Health
    • O que é:
    O Google Health fornece um perfil personalizado para usuários do Google com dados contendo seu histórico médico. Fazem parte do histórico dados pessoais como peso, altura, idade, sexo e dados clinicos alergias, medicamentos que faz uso, cirurgias às quais foi submetido, resultados de exames, vacinas, etc. Esta é uma forma de compilar todas as suas informações de saúde em um mesmo local, facilita a busca de históricos de tratamentos e diagnósticos antigos, localização de profissionais, entre outros. Apesar de se encontrar apenas em inglês e a possibilidade de importação de seus dados médicos a partir de de bancos de dados brasileiro não ser existir, você poderá, caso deseje, colocar os dados manualmente.Ainda há ferramentas para pesquisa de condições médicas, como Diabetes ou Hipertensão, além dos sintomas como cefaléia ou febre.
    Também é possível consultar medicamentos e interações medicamentosas, procurar serviços de saúde e médicos (ainda não disponível no Brasil).
    • Financiamento:
    Segundo o Google, o serviço Google Health será de graça e as informações pessoais não serão compartilhadas, porém, informações anônimas poderão ser capturadas e utilizadas. Por isso os usuários deverão aceitar os 2 termos logo no início do cadastro.
    A ferramenta não terá anúncios publicitários da mesma forma que outros serviços do buscador como o Google News, mas, apesar disso, será lucrativo, porque aumentará o fluxo de usuários para outras páginas do Google.
    O Google Health é um sistema aberto a outras empresas ou instituições que queiram oferecer serviços diretos para o consumidor, como 
    tabelas de medicamentos ou lembretes para vacinas, mas insistiu em que nenhum dado será compartilhado sem o consentimento do paciente.
    • Privacidade:
    "Nosso modelo se baseia em que o proprietário dos dados tem o controle sobre quem pode vê-los", disse Schmidt em uma conferência da Sociedade de Sistemas e Informação e Gestão dos Serviços de Saúde dos Estados Unidos.
    Especialistas em privacidade de dados de saúde demonstraram suas
    dúvidas sobre este projeto e outros similares. O Google não está só, pois dúzias de empresas oferecem serviços de gestão de dados médicos na Internet.
    Bob Gellman, consultor de políticas de privacidade e informação em Washington, afirma que o serviço do Google apresenta os mesmos riscos para a privacidade dos pacientes que o de outras companhias semelhantes na rede
    ."Um dos principais riscos é que estes dados privados acabem nas mãos de empresas de marketing", disse Gellman à Agência Efe. O consultor, que fez um estudo sobre o assunto para o Fórum Mundial da Privacidade, explicou que firmas como o Google não são necessariamente obrigadas a respeitar a HIPAA, uma lei federal que impede, entre outras coisas, que a informação médica seja utilizada com fins comerciais. Embora estes serviços tragam vantagens para os pacientes, "pode ser também complicado para os pacientes", opinou Gellman. "Muitos consumidores não são capazes de decidir quem pode ter acesso a seu histórico médico e quem não pode", destacou.


Picture
clique aqui
ALERT
O software ALERT é uma solução operacional para todos os ambientes de prestação de cuidados à saúde com a capacidade de produzir ambientes clínicos totalmente sem papel. O sistema permite a introdução, em tempo real, de toda a informação clínica do paciente, em telas sensíveis ao tato (touch-screen). O software permite a realização de triagem por meio do Protocolo de Manchester* ou qualquer outro protocolo de classificação de riscos, com consulta em tempo real aos dados dos pacientes e interação entre as equipes dos profissionais da saúde.Outro aspecto do ALERT é o fato de controlar o acesso à informação clínica por meio de identificação biométrica dos usuários (impressão digital) e de identificar pacientes por meio de fotografia digital e códigos de barra em pulseiras. Isso garante segurança tanto ao paciente quanto à instituição de saúde. O ALERT também tem capacidade de “conversar” com outros programas de gestão administrativa, sendo membro do IHE, instituto que produz protocolos para a troca, gerenciamento e integração de informações pertinentes aos cuidados do paciente, assim como a administração, distribuição e avaliação dos serviços de saúde. A vantagem para os clientes ALERT é a possibilidade de interoperabilidade entre seus sistemas de informação, sem prejuízo ou necessidade de substituição de programas já instalados.


  • ALERT HMO: health maintenance organization ( HMO ) é um projeto voltado para as operadoras de planos de saúde, sendo responsável pela gestão de saúde da organização. Aqui em Belo Horizonte a UNIMED é um cliente desse serviço.

  • ALERT RHIO: Regional Health Information Organizations (RHIOs), integra redes básicas aos hospitais da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais, com um prontuário eletrônico transversal, ou seja, compartilhado por todas as unidades em rede.

  • ALERT REFERRAL: integra as agendas e os processos de referenciação e de contra-referenciação do Servicio de Salud Metropolitano Norte (SSMN), no Chile, uma revolução nos processos de referenciação, eliminando-se o sistema tradicional de vagas.

  • ALERT INPATIENT, ALERT ORIS e ALERT EDIS: atenção hospitalar. O primeiro é o software responsável pela internação, o segundo pelo bloco cirúrgico e o terceiro pela urgência do hospital, integrando o Protocolo de Manchester (ALERT TRIAGE). São alguns dpos projetos: Santa Casa de Belo Horizonte, Hospital da Beneficência Portuguesa em São Paulo. Inclui também o ALERT OUTPATIENT, responsável pela gestão das consultas ambulatoriais.



  • Picture
    clique aqui
    P2D
    P2D é um prontuário eletrônico webased (seguindo a tendência da Cloud Computing, "nas nuvens"), ou seja, não é preciso instalar o programa no computador e pode-se ter acesso do consultório, do hospital ou de casa., agregando qualidade ao atendimento, eficiência e redução de custos.
    A confidencialidade e segurança são garantidas, o acesso aos prontuários é restrito aos profissionais de saúde, possuindo um nível de segurança similar ao do sistema bancário.
    Dentre as funcionalidades que me atraem nele estão a possibilidade deimportar dados de outros programas de registro de pacientes e a digitalização facilitada de prontuários em papel, documentos, resultados de exames, etc...


    Outros:



    Picture
    clique aqui


    Picture
    clique aqui


    Picture
    clique aqui



    Picture
    clique aqui
    Dossia: http://dossia.org/


    Picture
    clique aqui


    Picture
    clique aqui




    Prontuário na WEB com Agenda online de consultas

    Picture
    Online Doctor: OnLine Doctor é um sistema gratuito para gerenciamento de consultórios médicos. http://www.onlinedoctor.com.br/


    Picture


    Picture

    sistema de armazenamento de histórico médico.

    Prontuário médico online e agendamento online de consultas


    Postagens populares