9 de set de 2010

A importância da Internet na Saúde Pública

Ethevaldo Siqueira é escritor, consultor e jornalista especializado em novas tecnologias, trabalhando atualmente como colunista do jornal O Estado de S. Paulo, para o qual escreve desde 1967; é colaborador especial da revista Época e comentarista da Rádio CBN, desde 2006, com uma coluna diária chamada Mundo Digital. Cobre esses setores há 40 anos, entrevistando cientistas, participando de congressos e visitando exposições, laboratórios e universidades no Brasil e no mundo.
Dr. Leonardo Diamante deu a dica de 2 podcasts muito bons da CBN sobre internet e saúde pública e o paciente informado.
Confiram:


Heródoto – Ethevaldo, você prometeu continuar falando sobre internet e saúde. Qual é a importância dessa rede para a saúde pública?
Ethevaldo – À medida que a internet se universaliza, Heródoto, mais importantes se tornam os projetos de utilização dessa rede para informação do grande público. Uma das sugestões dos especialistas é criar até um selo, que poderá identificar os sites ou portais realmente confiáveis, de qualidade. 

Heródoto – E que outra contribuição a internet poderia dar nessa área de saúde?
Ethevaldo – Outra seria o prontuário eletrônico. Você já imaginou se todos os pacientes pudessem ter seu prontuário armazenado na internet, protegidos com senha, para evitar a violação da privacidade, mas acessíveis a médicos, em caso de necessidade, em qualquer lugar e a qualquer hora? Poderemos armazenar tudo na nuvem, Heródoto. 

Heródoto – Por que esses portais de universidades e os prontuários eletrônicos não foram ainda adotados no Brasil? 
Ethevaldo – Tenho uma teoria pessoal que me diz que as melhores aplicações – seja em saúde seja em educação ou proteção ambiental – são sempre as últimas a chegar, em quase tudo no mundo da tecnologia. Sei que já existem iniciativas em fase incipiente de amadurecimento na USP, na Unicamp e noutras universidades brasileiras, Heródoto.






Heródoto – Ethevaldo, qual é a importância do paciente informado para a medicina?
Ethevaldo – É cada dia mais importante, Heródoto. Em primeiro lugar, é fundamental lembrar que o paciente informado é aquele que tem conhecimentos básicos sobre saúde e medicina. O paciente informado pode colaborar de forma valiosa para melhores diagnósticos e tratamentos mais efetivos. É isso que a prática nos prova todos os dias. Mas é preciso que o paciente seja corretamente informado.

Heródoto – Por que o paciente bem informado pode colaborar com o médico?
Ethevaldo – Porque ele tem noções básicas sobre higiene, alimentação, origem e evolução das doenças, medicina preventiva, tecnologia para diagnósticos, como tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassonografia e outros temas. Estar corretamente informado, portanto, é algo muito positivo, um avanço, para o paciente, para o médico e para a própria medicina. 

Heródoto – E qual é o papel da internet na informação do paciente?
Ethevaldo – Pode ser muito positivo ou muito negativo, Heródoto. Tudo depende da qualidade da informação médica de cada site. O lado negativo está na desonestidade de sites que, para vender medicamentos, atraem pacientes incautos com promessas absurdas, divulgam conceitos inteiramente falsos sobre obesidade, disfunções sexuais, câncer, doenças degenerativas e outras. 

Heródoto – E o lado positivo?
Ethevaldo – É o lado da informação correta, acessível, sem interesses comerciais, preparada por médicos competentes. A boa notícia, Heródoto, é que esses sites já existem.

Heródoto – Você pode dar um exemplo?
Ethevaldo – Posso. Um dos melhores surgidos nos Estados Unidos é a www.Medpedia.com, criada pelo trabalho colaborativo de meia dúzia de universidades famosas, como Harvard, MIT, Columbia, Illinois, Berkeley e Stanford. Esse portal-modelo de saúde já presta um bom serviço para o grande público. Amanhã continuarei a falar sobre internet e saúde.

Dica: @ldiamante

Postagens populares