18 de mai de 2011

Informatizando o consultório médico - Hardware





Do blog do José Henriques, UglyDarkSide, eu trouxe esse excelente artigo sobre hardware na informatização do consultório médico. JHenriques é de João Monlevade, e é uma das pessoas que mais conhecem os trâmites do saúde no SUS. 

"Algumas vezes sou consultado sobre quais são as melhores maneiras de informatizar um consultório médico. A primeira questão que me vem é: Qual o seu volume de atendimento e sua especialidade.
O volume de atendimento diz muito sobre questões como rede de dados e capacidade de armazenamento. E a especialidade médica diz sobre qual hardware melhor se encaixa para o uso. O volume de atendimento também nos auxilia a definir a configuração do hardware para a secretária, que não precisa ser o mesmo do Médico, mas as tecnologias devem ser convergentes.

O primeiro passo é definir o Hardware e a rede utilizada. Em geral, alguns médicos optam por máquinas montadas, as do mercado informal, que em geral tem preços bons, mas apresentam diversos problemas ao longo do tempo, devido a estas configurações “nada comuns” que são feitas. Placa mãe de um fabricante, memória de outro, em geral funcionam para usuários que podem perder tempo formatando com freqüência suas máquinas.Mas em um atendimento, a disponibilidade do equipamento é crucial, portanto, investir em uma máquina de um fornecedor reconhecido (HP, Dell, IBM, entre outros) evita o problema da disponibilidade do equipamento. O espaço de armazenamento também deve ser pensado. Se existe a necessidade de se trabalhar com diversos arquivos de imagem, como os do formato DICOM (usados por equipamentos de diagnóstico por imagem), o espaço em disco deve ser o maior possível, e as placas de vídeo devem ser dedicadas, e não as integradas à placa mãe. Placas de vídeo com memória de 256 a 512 não é um luxo para este tipo de trabalho.

Monitores de vídeo também fazem muita diferença. Hoje temos tecnologias LED e LCD competindo. Para quem usa o diagnóstico por imagem, monitores usando a tecnologia LED são recomendados, pois permitem contrastes mais nítidos em imagens. E o tamanho também interfere, já que monitores de 20” permitem uma área de exibição maior e mais confortável no trabalho.

As impressoras também merecem cuidado especial. Hoje, dependendo do volume impresso de documentos, compensa estudar a locação do equipamento, caso o volume de páginas impressas seja superior a 2 mil páginas mês. Valores inferiores a este, podem representar um custo suportável. O ideal é disponibilizar 2 impressoras, uma para o consultório e outro para a secretária. Em geral, o equipamento da secretária pode ser um Multifuncional, que permite a economia de espaço e de recursos para que a mesma possa enviar e receber fax, digitalizar documentos relativos ao faturamento médico e impressão de documentos para acompanhar o faturamento.
A impressora do consultório pode ser Laser ou Jato de Tinta. A tecnologia de impressoras laser coloridas tem permitido a impressão de imagens com boa resolução a um custo acessível (na faixa de R$0,60 a página impressa). Mas ela deve ser baseada na especialidade do médico. Médicos que fazem uso constante de imagens diagnósticas, o ideal é optar por um equipamento laser colorido. Já quem tem necessidade de imprimir laudos e atestados, uma impressora laser monocromática e uma jato de tinta atendem bem a demanda.

Quanto a rede de dados, ela pode ser física ou wirelles. O grande problema da Wirelles ainda é a segurança. Recomendo que você além de consultar alguém especializado neste tipo de rede, utilize autenticação pelo MAC Addres e permita apenas a conexão de máquinas cadastradas. Cada equipamento possui um Mac addres único, o que aumenta a segurança da rede. Se optar por uma rede convencional, baseada em cabos, se você utilizar diagnóstico por imagem, recomendo pensar numa configuração de 1Gigabit, pois a velocidade de tráfego da rede é superior. Se não utilizar, as redes 10/100 atendem bem a demanda de um consultório. Lembre-se sempre de procurar fornecedores que ofereçam garantia de 1 ano.

Muitos médicos hoje possuem dispositivos móveis. Os dispositivos móveis vieram para ficar, mas lembre-se sempre em manter as tecnologias convergentes. Não adianta comprar um equipamento por modismo, se não conseguir integrar este equipamento a outros em sua atividade profissional. Verificar esta compatibilidade auxilia a evitar frustrações com a tecnologia.

Um item importante é a garantia dos equipamentos. Algumas empresas como Dell, IBM e HP oferecem a garantia extendida, o que diminui o risco do equipamento sofrer manutenção de maneira inadequada. Lembre-se sempre de que a garantia extendida deve estar atrelada a um bom acordo de SLA (o tempo de resposta às demandas), que garante o prazo de atendimento ao problema apresentado.
Outra questão importante é o backup. Recomendo efetuar o backup em 2 mídias diferentes. DVD’s e de preferência uma unidade externa de armazenamento (Pen-drive ou disco externo). Ter backup não é luxo, e sempre efetue testes para saber se o que você gravou pode ser facilmente recuperado.
Pensando desta maneira, você evita gastos excessivos, e elabora uma solução de hardware que não vai ser difícil de pagar, e vai te trazer uma experiência agradável com a tecnologia.
Na parte II iremos discutir softwares para consultórios médicos.


E vamos subindo a montanha!"

Leia também:

Informatizando o consultório médico - Software

Postagens populares