6 de jun de 2009

Google e Microsoft numa competição saudável e outros sistemas de registro em saúde

Os rivais tecnológicos Google e Microoft lançaram sistemas semelhantes de registro eletrônico de saúde em 2007. Com o Google Health e o Microsoft HealthVault, os consumidores podem manter um registro digital de saúde que contém vários dados de consultórios médicos , hospitais, farmácias, e até mesmo dado inseridos pelos próprios pacientes.
"Este é o mundo que a Microsoft e a Google estão tentando entrar. Eles estão tentando conectar a informação que existe em vários lugares do sistema de cuidados de saúde com os consumidores que pretendem ser pró-activos em reação a sua saúde." disse Matthew Holt, co-fundador do Evento Health 2.0 e autor do The Health Care Blog.
Ambas as empresas estão em estágios iniciais de seus esforços, tendo lançado um primeiro produto Web-based que permite armazenar uma grande variedade de registros pessoais de saúde.
Mas Microsoft e Google não estão sozinhos neste espaço. WebMD e Revolution Health também oferecem ferramentas para o registro pessoal de saúde. Esforços como os de Dossia e Aetna estão trabalhando diretamente com os empregadores para oferecer opções de sistemas de registro de saúde para seus funcionários. Entretanto, alguns fornecedores, como a Kaiser Permanente, oferecem seus próprios registros de saúde.
Apesa de todas as vantagens de acesso a dados de saúde desses sistemas, a privacidade desses dados ainda preocupa. Mesmo afirmando que o consumidor estará no controle do acesso a esses dados, a forma como eles serão manipulados causa preocupação, especialmente se a Google e Microsoft não estão sujeitas ao Ato de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (HIPAA), a legislação federal que regula como os médicos e hospitais devem manipular dados.
Outra questão é a diversidade de fontes usadas para incluir dados nos registros de saúde. Uma das mais ricas é o faturamento, mas como um caso recente ilustra, tais registros também são propensas a erros.
O paciente Dave deBronkart usou dados no seu Google Health compilados a partir de códigos de faturamento utilizado pelas companhias de seguros para reembolsar médicos e hospitais, aparecendo erros como idade, mas também outros de antecedentes ou condições prévias e saúde, incluindo um aneurisma da aorta que ele nunca teve.
A Google anunciou em 27 de Abril que iria mudar as suas políticas, no que diz respeito aos dados, e enviar apenas o texto e as informações digitadas pelo médico, deixando de fora os dados relacionados ao códigos de faturamento. "O resultado será informação e dados mais precisos e úteis nos ' Perfis de Saúde da Google", divulgado no blog da Google.
Uma grande diferença: o esforço do Google está focado sobre o consumidor, enquanto a Microsoft investe na Amalga Life Sciences, que ajuda pesquisadores e outros profissionais da indústria de saúde a gerenciar e organizar dados clínicos.
Dados os riscos e benefícios, quem ficará à margem e quem usará esses serviços? Certamente isso é uma decisão individual.
Traduzido livremente da Cnn.com/technology

Postagens populares