16 de jun de 2009

Tecnologia da Informação e a Medicina


Muitos internautas chegam ao blog pelos mecanismos de pesquisa buscando informações sobre a Tecnologia da Informação aliada a Medicina, e a impressão que eu tenho é que estes buscam definições e exemplos do assunto. Então o post de hoje será sobre isso.
A Tecnologia da Informação (TI) é um termo usado para designar o conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para geração e uso da informação, mas as aplicações e usos da TI são tantos e tão vastos que as definições existentes não conseguem determiná-la por completo. Além do processamento de dados, sistema de informação, engenharia de software, informática ou o conjunto de hardware e software, a TI também envolve aspectos humanos, administrativos e organizacionais (keen, 1993).
A informação é um patrimônio, é algo de valor; quem tem informação, tem poder. Não se trata de um monte de bytes aglomerados, mas sim de um conjunto de dados classificados e organizados de forma que uma pessoa ou uma empresa possa tirar proveito. Por exemplo, quanto da sua agenda no consultório é ocupada por determinado convênio e em quanto ele contribui para a sua receita no fim do mês? Ou quantos dos seus pacientes não compareceram ao retorno anual? Não seria um tanto inviável procurar essas informações manualmente? Você é capaz de vislumbrar as possibilidades de ganho financeiro com essas informações?
Segundo Adriana Beal, "O principal benefício que a tecnologia da informação traz para as organizações é a sua capacidade de melhorar a qualidade e a disponibilidade de informações e conhecimentos importantes para a empresa, seus clientes e fornecedores. Os sistemas de informação mais modernos oferecem às empresas oportunidades sem precedentes para a melhoria dos processos internos e dos serviços prestados ao consumidor final."
Portanto, a Tecnologia da Informação na Medicina tem como objetivo fornecer informação para o médico, hospital, laboratório ou clínica, de modo a melhorar a qualidade do serviço aumentando a competividade do negócio.
Os benefícos do uso da TI na Medicina podem ser divididos em tangíveis e intangíveis. Os tangíveis podem ser definidos como aqueles que afetam diretamente os resultados da empresa, tais como redução de custo e geração de lucros. Os intangíveis são os que causam melhorias de desempenho do negócio, mas não afetam diretamente no resultado da empresa, tais como informações gerenciais, segurança, etc.
Exemplo de TI na Medicina apresentados aqui no blog:
  • P2D: sistema que unifica todos os dados clínicos dos pacientes em uma única base de dados, acessível a qualquer momento, de qualquer lugar. Auxilia na prevenção, no diagnóstico e no tratamento clínico, agregando qualidade ao atendimento, eficiência e redução de custos. Com o Prontuário Universal P2D, seu consultório terá um único sistema. Você poderá facilmente: acessar sua agenda, selecionar o próximo paciente, monitorar a fila de espera, elaborar a ficha de anamnese, verificar o histórico, solicitar exames e prescrever rapidamente medicamentos.
  • HealthPAL: dispositivo portátil para pacientes, familiares e profissionais de saúde, sendo uma maneira conveniente de coletar remotamente, transmitir, armazenar e comunicar informações sobre condições dos pacientes. Ele recolhe e transmite leituras de glicose, de monitorização de pressão arterial, peso, pedômetro e oxímetros de pulso, tornando-se útil tanto na manutenção e controle de dietas alimentares quanto no tratamento de pacientes com doenças crônicas. Os dados coletados são automaticamente transmitidos a um servidor central seguro onde pode ser acessada por profissionais da saúde, ou armazenadas em Sistemas de Registro Eletrônicos de Saúde, tais como registro HealthVault Microsoft ® ™ ™ ou o Google Health. Posteriormente, será possível coletar e transmitir dados de glicosímetros, ECG, Peak Flow, CPAP, espirometrias, concentração de O2 e mais.

Postagens populares