23 de nov de 2010

10 Tecnologias Estratégicas para a Saúde em 2011

Em 2011, de acordo com a Gartner IT, cloud computing encabeça a lista, à frente de aplicativos móveis, incluindo os tablets; colaboração e redes sociais; e Vídeo. Em seguida aparecem soluções de análises de dados - sociais e de negócios.

1- Cloud Computing - Fornecedores vão aumentar as implementações em cloud privada como software, hardware e metodologias para adoção das melhores práticas. além de serviços para gerenciar remotamente o que está na nuvem. A Gartner estima que em 2012 haverá grandes empresas especializadas em cloudsourcing com capacidade para fazer toda a gestão de serviços contratados neste modelo.



Na saúde: profissionias e estudantes podem consultar prontuários eletrônicos, a partir de qualquer dispositivo fixo ou móvel, além de pesquisar mais de 200 mil interações medicamentosas, fazer consultas sobre medicamentos comercializados no Brasil, utilizar guidelines médicos e ter acesso às atualizações médicas e serviços relacionados. 


2-Aplicações móveis e tablets – O Gartner estima que até o final de 2010, cerca de 1,2 bilhão de pessoas ao redor do mundo estarão carregando terminais móveis com capacidade para acessar diversas aplicações na web e fazer transações de e-commerce.

Na saúde: Já existem inúmeras aplicações (apps) para plataformas como o iPhone e iPAD da Apple e outros modelos do mercado, como os que usam plataforma Android e Symbian. A gama de tecnologia móvel  aplicada a medicina hoje em dia é muito ampla e tende a crescer mais em 2011e se difundir com maior facilidade.


3- Mídia social e colaboração –  O Gartner prevê que até 2016, as tecnologias sociais serão integradas com a maioria dos aplicativos de negócios. As empresas devem reunir suas ferramentas de Customer Relationship Management (CRM) social, comunicação interna e colaboração para iniciativas públicas com estratégia coordenada.

Na saúde: cada vez mais os médicos, hospitais e empresas estão aderindo às mídias ou redes sociais como twitter ou facebook para divulgação de serviços, maior proximidade com o cliente e interação com a comunidade médica. Isso tende a se consolidar mais em 2011.



4- Vídeo Será um tipo de mídia padrão usado pelas empresas para se comunicar mais rapidamente com seus públicos. Ao longo dos próximos três anos, o Gartner acredita que os conteúdos em vídeo serão comuns e se tornarão modelo de interação para a maioria dos usuários. Até 2013, mais de 25% dos conteúdos que os trabalhadores acessarem terá imagens, vídeo ou áudio.

Na saúde: no youtube é possível encontrar desde aulas até animações sobre procedimentos. Veja esses exemplos: procedimentos médicos como cricotireoidosctomia ou toracocentese; animação sobre parto vaginal, entre muitas outros sites como Vimeo, onde é possível a pesquisa de vídeos.



5- Ferramentas analíticas – Com o aumento da capacidade de processamento e conectividade dos terminais móveis, as empresas vão usar ferramentas analíticas de próxima geração para tomada de decisão. Serão utilizadas soluções de Business Intelligence que fazem simulações e previsões de resultados em tempo real pelos times que estão em campo para suportar os negócios. 

Na saúde: Sistemas de apoio a decisão e a medicina baseada em evidências são exemplos ferramentas analíticas usadas em muitos softwares médicos atualmente. Ferramentas de inteligência Artificial (IA), para o apoio a decisão médica, nas fases de diagnóstico, tratamento e prognóstico (os workflows) e Sistema de Apoio a Decisão para a Gestão de Paciente Crônico são 2 exemplos de temas bastante abordados e alvo de pesquisa no campo da bioinformática. 

6- Análise social - Ganharão força as tecnologia para fazer medição, análise e interpretação de resultados das interações, associações entre as pessoas, temas e ideias. Estas interações podem ocorrer em aplicações de software social utilizadas no trabalho, nas comunidades internas, externas ou na mídia social. Elas incluem um número de técnicas de análise especializadas para redes sociais e os padrões de trabalho de indivíduos, grupos ou organizações. Possuem capacidade para coleta de dados de múltiplas fontes, identificam relações, avaliam impacto da qualidade e eficácia de um relacionamento.
Na saúde, novamente podemos perceber como a tecnologia e as comunidades e mídias sociais estarão presentes.A Followmed é um bom exemplo para quem quiser entender mais.

7- Computação consciente – É um conceito para melhorar a interação e uso das informações pelo usuário de acordo com suas atividades e preferências. O Gartner prevê que até 2013, mais da metade das 500 maiores empresas da Fortune terá iniciativas computação de contexto consciente.

Na Saúde: Hoje dispomos de softaware que fazem essa gestão como o ALERT® CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT (CRM).
O perfil do paciente ou cliente dos serviços de saúde vem sofrendo grandes transformações. Hoje ele é um indivíduo que apresenta um nível de exigência muito superior ao que apresentava 10 anos atrás. Com acesso a muito mais informações e já acostumado com as evoluções do mundo moderno, hoje ele demanda por um atendimento mais integrado, no qual ele tenha acesso as suas próprias informações de saúde e mais do que isso, ele busca pelo gerenciamento da sua saúde. Já não é suficiente tratar só das suas doenças com qualidade e segurança, ele quer atendimento e monitoramento particular, seja em casa ou na instituição hospitalar, ele quer saber quais são as novas abordagens para o tratamento de suas doenças crônicas, ele não quer perder tempo, o tempo hoje é um fator precioso, através da web ele quer agendar suas consultas, ele quer dialogar com seus médicos e organizações de saúde, ele quer realizar consultas através de video conferência ou mesmo através de celulares e muitas outras coisas. O que podemos afirmar é que sem um processo de CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT), devidamente implantado nada disso será possível. (fonte)

8- Memória flash – O Gartner prevê enorme uso de memória flash em dispositivos de consumo, equipamentos de entretenimento e outros sistemas integrados de TI. Esse dispositivo é um semicondutor de memória, familiar por seu uso em pendrives e cartões de câmeras digitais. É muito mais rápida do que os discos giratórios, mas consideravelmente mais cara; porém, este diferencial está acabando.

9– Computação ubiqua - Os especialistas sinalizam uma terceira onda da computação, com a chegada de equipamentos invisíveis. Não invisível como se não pudesse ver, mas, sim de uma forma que as pessoas nem percebam que estão dando comandos a um computador, mas como se tivessem conversando com alguém. Além disso, os computadores teriam sistemas inteligentes que estariam conectados ou procurando conexão o tempo todo, dessa forma tornando-se onipresente. 

Na saúde: A computação ubiqua já está sendo aplicada a medicina, como Sistema de prontuário médico com monitoramento de pacientes via GPRS, ViSi Mobile (patch dérmico que monitora os sinais vitais do paciente, enviando os dados para o computador do médico via links wireless), Pílula de RFID luThon (pílula ingerida por corredores que envia medição da temperatura do corpo, através de um sistema que combina um sensor de calor em forma de pílula e um celular com GPS e Bluetooth), entre muitas outras aplicações.

10- Computadores e infraestrutura “fabric-based” – Um computador “fabric-based” conta com uma arquitetura modular, aderente à virtualização e cloud, que pode ser construído e expandido a partir de módulos conectados em uma única placa. Na sua forma mais básica, esse tipo de infraestrutura consiste em processador, memória, I/O e outros componentes separados que, interconectados por uma placa, formam um pool de recursos gerenciados por um software específico para esse fim. 

Uma das vantagens desse tipo de computação é que pode ser fornecida por um único fornecedor, por um grupo de fornecedores que trabalham em parceria de compatibilidade ou por um integrador.



Postagens populares